Descolonização da Africa · EUA · Líbia · Relações Internacionais

A independência da Líbia e o período monárquico

 

Por Marcio Moraes do Nascimento

Após o fim da segunda guerra, a Líbia que estava sob domínio italiano desde 1912, passou a ser ocupada militarmente pela Grã Bretanha (região da Cirenaica e Tripolitania) e França (Fezzan), posteriormente os EUA juntou-se aos dois países europeus, instalando uma grande base perto de Tripoli (Whelus Field), portanto as três potencias tinham interesses e não lhe agradavam a ideia de desocupar o país norte-africano, como preconizava a URSS, defensora de uma tutela coletiva, sob a coordenação da ONU. Já em novembro de 1949 a URSS propôs a concessão da independência e a imediata retirada das tropas de ocupação, a proposição soviética não foi aceita, porém a ONU votou uma resolução que previa a Líbia como Estado independente até 1952. Entretanto a independência da Líbia é fruto da luta anticolonial, que logrando êxito forçou a ONU a se posicionar, mesmo com a oposição do Reino Unido que buscava operar a divisão das forças anticoloniais, tendo como alicerce para seu projeto divisionista, as forças conservadoras da região da Cirenaica, contudo as manobras britânicas sofreram forte resistência dos nacionalistas de Trípoli, defensores de uma Líbia unificada, em colaboração com os Estados Árabes e da imediata evacuação das tropas de ocupação.

Em junho de 1949, a Cirenaica, sob o emir Idris foi proclamada independente, e sua Constituição elaborada pelos ingleses, caracterizada como reacionária, estabelecia amplos poderes ao emir, contudo as facções progressistas de Trípoli entenderam que a reunificação da Líbia só seria possível sob Idris. O fator central para os dirigentes tripolitanos era a independência e a unidade do país, após longas negociações foi fechado um acordo com Idris, e a Líbia se tornou uma federação formada pelas províncias de Trípoli, Cirenaica e Fezzan, portanto em 29 de dezembro de 1951 foi estabelecida a independência líbia, o emir da Cirenaica, o rei Muhammad Idris Io al-Sanusi, tornou-se o primeiro monarca.

No plano econômico era um dos países menos desenvolvidos no Norte africano, as relações feudais eram dominantes e um grande percentual de sua população era nômade, as industrias eram incipientes, os bancos e os estabelecimentos comercias eram de estrangeiros e o nível de analfabetismo era de mais de 85% de sua população.

Explorando as dificuldades socioeconômicas do país, os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a França, estabeleceram um novo ciclo de dependência, conseguindo manter bases aéreas e militares no território líbio, em 1957, 75% da economia do país estava na mão do capital estrangeiro.

Já no final da década de 1950 a prospecção de atingiu bom nível, o governo líbio concedeu a empresas estadunidenses, britânicas, francesas e italianas o direito a exploração da riqueza natural, estipulando seu lucro liquido a menos de 50%. Rapidamente a Líbia se tornou um país com renda per capita considerável, entretanto o modelo dependente não permitiu a promoção de projetos de desenvolvimento nacional.

A produção petrolífera, abriu grande numero de postos de trabalhos, causando êxodo rural, porém a mão de obra qualificada era composta por imigrantes provenientes de outros países árabes. O governo não empreendeu nenhum esforço para diversificar a economia do país. Após 12 anos a estrutura federada foi descartada e a Líbia se tornou um Estado unificado. Na politica externa não obstante o alinhamento com as potencias ocidentais, nas questões árabes o governo de Idris manteve posição de maior autonomia.

 

Continuação em:  II – A Revolução Líbia, Kadafi no Poder e sua Terceira Teoria Universal

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s